Monday, February 11, 2008

Viver nos EUA... sonho ou pesadelo?

Algumas pessoas se mudam para os EUA achando vão ganhar muito dinheiro ou que vão ficar bem de vida rápido. Mas nem sempre é isso que acontece.
O casal de brasileiros João e Karina chegou nos EUA há 2 anos. Eles largaram tudo para tentar a vida aqui. Uma amiga os convenceu de que Nova York seria a melhor opção, oferecendo hospedagem e trabalho na empresa da família.
Ao desembarcarem, a tal amiga não estava esperando no aeroporto, como combinado. E até hoje eles não a encontraram.
Depois do susto, eles se hospedaram num hotel. Nova York no verão é muito quente. Como fazia uns 40 graus, eles tiveram uma idéia para multiplicar o dinheiro que restava, pois ainda estavam sem trabalho e o desespero começava a bater. Com 70 dólares, decidiram comprar garrafas de água mineral para vender. Mas a grande idéia foi por água abaixo na primeira esquina quando eles foram abordados por policiais. Eles não podiam vender por não terem a licença permitindo o trabalho. Ainda bem que eles arrumaram emprego no dia seguinte, porque o estoque de água durou o mês inteiro!
Começaram a trabalhar como garçons, onde eram explorados diariamente. João chegou a ganhar míseros 25 cents de gorjeta. Em seguida foram contratados por uma empresa de um brasileiro que os tratava como lixo. Era grosseiro e costumava enrolar na hora do pagamento. Se eles não conferissem o salário na hora, sempre vinha errado. E aí, já era! Eles eram passados pra trás.
Hoje a vida deles mudou. Eles abriram o próprio negócio, fazem o horário de trabalho que querem e ganham o suficiente para ter o conforto de que precisam. São felizes e nem pensam em voltar para o Brasil.
Um outro casal de brasileiros recém chegados, o Wellington e a Daniele, vieram para cá com a intenção de ficar apenas um ano para aperfeiçoar a língua inglesa. Mas desde que chegaram enfrentam dificuldades.
O apartamento que eles alugaram quando ainda estavam no Brasil, só descobriram que não estava mais reservado quando chegaram em Nova York. A proprietária do imóvel decidiu alugar pra outro casal que pagou mais pelo local.
A solução foi se sujeitar a morar por uns dias no quarto do filho da proprietária, até arrumar algo decente para morar. Depois de muito procurar, eles acharam um apartamento em Nova Jersey, a poucos minutos de Nova York.
Ele já está trabalhando, mas ela apesar dos anúncios que colocou em vários sites de emprego, ainda não arrumou nada. Passa o dia ouvindo rádio ou andando no frio pela redondeza a procura de trabalho.
O apartamento deles não tem móveis e o colchão inflável que ganharam, furou. Eles tiveram de colocar uma fita adesiva para poder voltar a dormir. Até agora tudo tem dado errado para o casal, mas eles estão otimistas e têm a esperança de que as coisas vão melhorar. E que voltarão para o Brasil cheios de histórias pra contar.

5 comments:

Otavio Almeida said...

Oi Manoela! Tudo bem?

Aqui é o Otavio da LIDE e do blog HOLLYWOODIANO (http://hollywoodiano.blogspot.com).

Não sabia que você estava em NY. Parabéns! Que legal! É meu sonho ir para NY.

Bom, espero que você tenha toda a sorte do mundo aí! A gente se fala!

Bjs!

mauricio said...

Loira, como vc está escrevendo bem, adorei suas duas histórias, continue, está ótimo. Assim a saudade fica bem menor! Continue e logo, logo, vc estará em um grande jornal. Beijos (manda um abraço prá o Renan). Se cuida, juízo e adoro vc! (Maurício - Maceió)

celso said...

A ideía do Blog é legal. Que tal fazer comentários sobre reportagens importantes que saem aí?
Com relação aos brasileiros nos EUA, Esse é preço que se paga para viver num país como esse. Tudo funciona, tudo é muito ordeiro, mas tem aqueles que vão achando que ficar rico aí é muito fácil. Ledo engano. Na Istoé dessa semana tem uma matéria sobre a escravidão que vivem muitos estrangeiros aí. Aqueles que vão trabalhar na colheita de laranja ou outra frutas qualquer e para ganhar míseros 50 dólares preciso colher muitas toneladas./ igualzinho aqui no Brasil./ Mas como é possível num país que se diz o mais democrático do mundo. é a vida, menina. Olho vivo!

Manoela Maia Tobias Granja said...

Obrigada Otávio, Maurício e Celso. Este é o incentivo de que preciso. Pessoas queridas me dando força! Beijo em todos!

Blogger do Elvis Giacomini - CNEM UFMT/Sinop said...

Boa Tarde.

Nossa, eu sou um apaixonado pelos EUA, adoro mnt mesmo, um dia chego lá!

Abs.

Parabens pelo blog.