Friday, January 29, 2010

Se você se chama Manoela...

Eu sempre amei o meu nome. Seja quando a minha mãe brigava comigo quando eu era pequena “Manoelaaaa”, ou até mesmo os diversos apelidos como: Manu, Lela, Manuzinha, Manuca, e quando mudei para São Paulo virei a Má. Os paulistas têm mania de chamar todo mundo apenas pela primeira sílaba. No fundo até acho bonitinho.

Mas quando mudei para Nova York não sabia que ia ter problemas com o meu nome. Ninguém consegue falar. É um transtorno!!! Saí de tudo, menos Manoela. E lá vai a lista dos nomes que já me chamaram por aqui: Mandela, Manola, Manela, Uamela, Umbrela e Manuel (quando tentam com todo o esforço do mundo). Toda vez que vou fazer um cadastro em uma loja ou algo parecido, entrego a minha identidade para o atendente. Detesto ficar soletrando e sei que se eu falar ele não vai entender mesmo.

Acho que todos os pais deveriam pensar nisso ao escolher o nome dos filhos. Um nome que seja fácil de falar na maioria dos países. Afinal, nunca sabemos aonde os nossos herdeiros vão querer morar quando crescerem não é mesmo?

Tenho um amigo que sofre mais do que eu. Ele se chama Guilherme. E também mora em Nova York. Já falei para ele virar William, que é a tradução do nome. Tenho certeza de que a vida dele seria muito mais fácil. Queria muito que o meu nome tivesse uma tradução por aqui. Mas talvez um dia eu resolva virar Maia, que é o meu sobrenome e é usado como primeiro nome aqui.

========================================
I always loved my name. As my mother fought with me when I was little "Manoelaaaa, or even several nicknames such as Manu, Lela, Manuzinha, Manuca, and when I moved to Sao Paulo I turned Ma. People from Sao Paulo, city of Brazil, called everyone for the first syllable. I think it’s cute.
But when I moved to New York did not know it was going to have problems with my name. Nobody can speak. It’s an inconvenience! They say it everything but never Manoela. And there here goes the list of names that have called me here: Mandela, Manola, Manela, Uamela, Umbrella and Manuel (when they try with every effort of the world). Every time that I need to do a register in a store or something, I rather give my identity to the attendant. I hate to be spelled out and I know that if I say anybody won’t understand it.
I think all parents should think about when choosing the name of the children. Like a name that is easy to talk in most of countries. After all, you never know where your daughter or son will want to live when they grow up right?
I have a friend who suffers more than me. His name is Guilherme. He also lives in New York. I already told him to turn William, which is the translation of the name. I'm sure his life would be much easier. I wanted very much that my name had a translation here. But maybe one day I will decide to turn Maia, who is my mother’s last name and used as my first name here.

3 comments:

Blog do Raima said...

RSRSRSRSRS
O meu nome foi complicado falar no Brasil imagina em outra cultura e língua... realmente é complicado mas nosso nome é tipo um DNA...
BJS para vc e o Daniel sucesso e felicidade é o mínimo que vcs merecem!

Blog do Raima said...

imagina eu que desde pequeno fui chamado de tudo menos RAIMA...
concordo realmente é chato ... mas tem um lado do nome ser um DNA...
BJS a vc e para o DANIEL... ou será o DANI BOY?
rsrsrsrs
Te cuida e fica com DEUS!

João Ramos said...

Estou me mudando para NY e tô morrendo de medo disso! Meu nome é João e da última vez que estivem em NYC já foi sofriddo (e foram só duas semanas a paseio), imagina agora para morar. Quero ver como meus colegas de trabalho vão me chamar...
abs